sexta-feira, 18 de março de 2011

Dica para se iniciar o aeromodelismo

Muitas vezes recebemos e-mails perguntando qual é o melhor aeromodelo para se começar no hobby, assim como o melhor motor, melhor rádio, qual o melhor equipamento melhor dizendo. Como sempre, a resposta em relação a um aeromodelo é: "Compre um modelo trainer". Mas porque um aeromodelo trainer e não aquele lindo P-51, ou então aquele belo Tucano? Simplesmente porque estes são modelos mais avançados, que não permitem um "errinho" bobo, ao contrário do avião trainer, além de ser bem mais fácil de pilotar e também muito gostoso. Não nego que às vezes sinto vontade de pilotar o meu antigo trainer (um Sensei da Prince Models, ex Amano Model Factory).


Começar sozinho é possível, porém mais complicado e não é recomendado devido ao grande risco de danificar o aeromodelo ou até ferir um espectador. É NECESSÁRIO ter um instrutor, pois sem ele é quase impossível aprender a voar. Não adianta falar que é piloto de avião real, que já pilotou no simulador (no aeromodelismo real as coisas são muito diferentes). Um instrutor poderá observar um problema que um iniciante talvez não perceba, ele que poderá pousar o aeromodelo com segurança caso o motor "morra" ou o aeromodelo apresente algum problema em vôo, e, além de tudo, ao voar na sua primeira vez, sua adrenalina estará à tona, podendo ocorrer queda do aeromodelo. Não dá pra aprender sem um instrutor! E como achar um instrutor? Procure um clube de sua cidade, que certamente terá um!


Se conhecer algum clube de aeromodelismo, vá em frente! Caso não conheça nenhum, poderá ver alguns que estão na Internet, no site da ABA (Associação Brasileira de Aeromodelismo). A maioria dos aeromodelistas e clubes estão abertos a novos amigos e lhe estenderão a mão para ajudar no que você necessitar.


Primeiro, é necessário comprar um aeromodelo trainer, o rádio, o motor e alguns acessórios.


O aeromodelo que você necessitará é um treinador (trainer). Este aeromodelo se
caracteriza por ser de asa alta (a asa acima da fuselagem do aeromodelo, o que proporciona maior estabilidade) com bastante diedro (ângulo formado por dois painéis ou dois setores de uma asa), tem um vôo lento, trem de pouso do tipo triciclo (duas rodas em baixo da asa, e uma na frente, no qual será muito mais estável em terra e fácil de taxiar), e tende sempre a recuperar sua posição estável de vôo (se o aeromodelo estiver com a asa inclinada, ao relaxar os comandos, se nivelará em relação ao solo). Estas características são excelentes para aprender.


Geralmente, é possível começar com dois tipos de modelos: os kits (onde você deverá montá-lo) e os ARFs (Almost Ready to Fly ou quase pronto para voar). Nos ARFs, à princípio, é necessário montar o profundor, unir as asas, montar motor e equipamento de rádio e algumas coisas mais.


Com qual aeromodelo começar? Existem vários modelos de trainers disponíveis no mercado, como o Sensei da Prince Models (nacional), o Avistar, entre muitos outros, inclusive planadores, que não são tão chatos de voar como se parece. Muitos dizem que o vôo à vela é muito interessante. Procure se informar com o revendedor de sua cidade.


Ah, e porque não começar com um helimodelo, que aparenta ter um vôo mais fácil? Porque o helimodelo é considerado por muitos o "último degrau" do aeromodelismo. É muito mais difícil de pilotar e, inclusive, tem um custo bem mais alto do que um aeromodelo.


Quanto aos motores, evite comprar um motor de bucha, que tem bem menos potência do que um motor de rolamento. Então você pergunta: o que é bucha? O que é rolamento? O rolamento é a peça onde se apóia o eixo virabrequim. Para fazer motores mais baratos, alguns fabricantes lançam versões com uma peça no lugar do rolamento, e esta peça rouba muita potência, mas é mais barata. Um exemplo de motores com bucha são os OS da série LA. Apesar disso, são ótimos motores. Já entre os motores com rolamento, podemos citar entre outros, para se iniciar no hobby, como os OS .40 e .46 FX ou os moteres Magnum. Para um avião trainer .40, um motor .40 ("quarentinha") já basta. Mas vale lembrar que caso você queira partir para um avião maior, um .46 por exemplo, este motor não ficaria legal. Logo, se possível, no inicio é bom comprar um motor .45, .46 ou .51, até porque um motor .46 não tem tanto peso a mais do que um .40, e tem maior sobra de potência. Todos os motores citados acima são ótimos motores, e não são tão caros. Vale citar que não existem apenas motores destes tamanhos. Vão de 0.049pol. cúbicas até o necessário para se colocar um aeromodelo no ar e, movidos a vários combustíveis, como o glow (metanol), gasolina, diesel e álcool.


O tamanho do aeromodelo estará relacionado com o do motor. É recomendável usar um aeromodelo com motor .40 ou .46 para iniciar. O motor é um dos elementos mais importantes do equipamento básico e apesar de tudo não é MUITO caro. É aconselhável um bom motor de uma boa marca, pois não vale à pena economizar algum dinheiro para ter um motor que pode "morrer" em pleno vôo (principalmente se for um iniciante que estiver no comando do aeromodelo).


É necessário um equipamento de rádio para controlar o aeromodelo. Um equipamento básico de quatro canais é suficiente para aprender (cada canal controla uma função diferente). Um transmissor de quatro canais geralmente controla: motor, profundor, ailerons e leme. Há também os rádios com maior número de canais, e com menor também. Vão de 1 a 11 o número de canais, cada qual com a sua mais variada função. Caso você queira ter outra função além das 4 normais, é preciso um rádio com maior número de canais. Os rádios "acima de quatro canais" mais populares são os de seis, mas isto não significa que não exista um de cinco. Existem também os rádios computadorizados, em que se pode mixar as funções, como o elevon, que são duas superfícies atuando como o aileron e o profundor ao mesmo tempo; flaperon, que são os dois ailerons atuando como flaps. Detalhe que para estas duas funções citadas acima são necessários dois servos, um em cada superfície. Você encontrará algumas marcas, muitas delas muito boas como a Futaba e a JR (claro que existem outras também).


Há também alguns acessórios que são recomendados/necessários: um starter elétrico (para dar partida no motor e evitar que a partida seja através da mão, correndo risco de cortar o dedo com a hélice). Caso queira, faça um porrete (pequeno) de madeira ou algum outro material para bater a hélice com segurança, nunca bata com o dedo. Um ni-starter (para acender a vela), bomba para enviar o combustível ao tanque, combustível, tanque de combustível caso não acompanhe o aeromodelo, caixa de campo e algumas ferramentas.

Nenhum comentário: